WTTC recomenda ao Brasil maior flexibilização de vistos

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, sigla em inglês) considera que o Brasil deve adoptar uma maior flexibilização na concessão de vistos turísticos para atrair um maior número de turistas estrangeiros, o que deverá contribuir também para o desenvolvimento do sector, para a criação de emprego e para o crescimento da economia brasileira. A recomendação é uma das conclusões extraídas do relatório Impacto Económico 2014 para o Brasil, no qual o WTTC traça um cenário positivo para o turismo brasileiro durante este ano, muito por culpa do Mundial’14, durante o qual o Brasil espera cerca de 600 mil turistas internacionais, sendo ainda de prever uma forte procura por parte do mercado interno. Apesar das boas perspectivas, o Brasil deverá adoptar um sistema mais simples na atribuição de vistos turísticos, à semelhança do que já acontece com o mercado mexicano, no qual o Brasil tem vindo a trabalhar na eliminação de vistos em viagens de curta duração. “O Brasil está reconhecendo os efeitos positivos que pode ter o sector das viagens e turismo em termos de criação de riqueza. Eliminar o requerimento de vistos anima mais gente para visitar o país, incrementa a derrama económica pelo turismo e gera mais emprego. A nossa recomendação é que o Brasil amplie a liberalização de vistos para outros mercados da região, adoptando também o sistema de vistos electrónicos para que o processo se torne mais rápido”, afirmou David Scowsill, presidente e CEO do WTTC. O relatório do WTTC recomenda também uma aposta na melhoria das infra-estruturas aeroportuárias, com David Scowsill a reconhecer que o país tem feito progresso nesta matéria, apesar de muito ainda estar por fazer. “O crescimento será significativamente inibido, a menos que melhore a infra-estrutura de aeroportos. O Brasil tem muito poucos aeroportos. Adicionalmente o governo deve intervir no tema do imposto sobre combustível de aviões, demasiado alto”, considera Scowsill. I.M.