1,5 M€ para recuperar património religioso no Porto

Orçada no montante global de 1,5 milhões de euros, a operação “Valorização do Património Religioso do Centro Histórico do Porto” já permitiu o restauro da Capela de Nossa Senhora do Ó, no Porto, reaberta no passado sábado.

Direcção Regional de Cultura do Norte e Câmara do Porto são os parceiros institucionais desta operação que tem como parceiros não institucionais a Santa Casa da Misericórdia do Porto, a Associação Comercial do Porto, a Fundação Millennium BCP, a Fundação Montepio, a Irmandade dos Clérigos, a Universidade Portucalense e a Porto Vivo (SRU).

Valorizar, recuperar e conservar igrejas, com o objectivo de dar a conhecer este valioso património aos portuenses e a todos os que o visitam, através de roteiros turísticos, contribuindo para a valorização do centro histórico do Porto, património mundial da UNESCO é um dos objectivos desta operação de valorização do património religioso do Porto que pretende igualmente valorizar tradições culturais do Porto e que assinalam festividades religiosas, valorizando de igual forma a oferta cultural da cidade.

De referir que, no âmbito da conservação, reabilitação e valorização do Património Religioso do Centro Histórico do Porto classificado como Património Mundial da Humanidade pela Unesco, as acções candidatadas dizem respeito à valorização das Igrejas do Seminário Maior, de Santo Ildefonso, de S. José das Taipas, de S. João Novo, de S. Nicolau e à Capela da Senhora do Ó.

Foi igualmente contemplada nesta operação a instalação de um Centro Interpretativo do património religioso do Centro-Histórico do Porto – material e imaterial – na antiga residência do Reitor da Igreja de S. João Novo, espaço que se encontra devoluto. Pretende-se que este seja um espaço de divulgação deste tipo de património em rede, permitindo ao visitante ter uma percepção das opções de roteiros turísticos enquadrados no “Património Religioso do Centro Histórico do Porto em Rede”.