1º semestre: Chegadas internacionais na Europa sobem 3%

As chegadas de turistas internacionais à Europa cresceram 3% na primeira metade do ano face ao período homólogo de 2015, demonstrando a sua tendência positiva e mostra uma coragem excepcional aos desafios geopolíticos e de segurança.

Segundo o estudo da European Travel Commission divulgado esta quinta-feira, a maioria dos destinos europeus mostraram um bom rendimento no que respeita ao número de chegadas durante o Verão.

O crescimento mais rápido foi registado pela Islândia com mais 34% de chegadas, impulsionado pela procura de mercados tanto de proximidade como de longo curso, seguido pela Eslováquia e Chipre (ambos com +19%). O “ European Tourism – Trends & Prospect indica, por outro lado que os destinos com crescimento destacado foram também a Bulgária (+13%), Portugal e a Irlanda (ambos com +12%).

Os destinos menos convencionais na Europa Central e de Leste como a Sérvia, Eslovénia, Lituânia e Roménia (todos com subidas de 10%) devem o seu sucesso aos contínuos esforços de marketing. Por outro lado os decréscimos acentuados verificaram-se na Bélgica (-13%) e na Turquia (-32%), destinos que continuam a lutar para recuperar os níveis de crescimento dos anos anteriores.

Pese a desvalorização da libra esterlina frente ao euro, que faz com que viajar para o estrangeiro sai mais caro aos britânicos, estes continuam a viajar, permitindo que vários destinos tenham tido um crescimento de dois dígitos à custa do mercado do Reino Unido.

O dólar mais forte, bem como as tarifas aéreas mais competitivas superaram os temores do terrorismo com a maioria dos países europeus a apresentarem bons resultados quanto à chegada de turistas dos Estados Unidos. Os dados do estudo apontam uma subida de 6% de chegadas de turistas norte-americanos em comparação com o mesmo período do ano anterior, enquanto as visitas de turistas russos decresceu 4,5% devido à recessão económica do país. A China continua a ser um mercado muito importante para a Europa.