“365 Algarve”: Mais de mil eventos culturais vão dinamizar a região na época baixa

O programa cultural “365 Algarve” apresentado este fim-de-semana, que até Maio de 2017 promove mais de mil espectáculos, tem como objectivo dinamizar a região na época baixa.

A cerimónia de lançamento do programa, que visa também ajudar a qualificar a oferta turística do Algarve e torná-la mais atractiva, conforme referiu a comissária do projecto, Dália Paulo, contou com a presença do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, do secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado,de vários autarca e agentes culturais.

O pontapé de saída teve lugar em Tavira, Faro e Lagoa e, a partir daqui, o “365 Algarve” vai percorrer toda a região, já que há eventos programados para os 16 concelhos algarvios.

«Quando nos propusemos a lançar este programa, traçámos como objectivo atingir os 365 eventos [a realizar num período de 8 meses]. Na altura, achei a meta muito ambiciosa, mas acabámos por ter mais de mil iniciativas. Nas primeiras reuniões com os agentes culturais da região percebemos claramente que não iria ser um processo de cima para baixo, mas sim de baixo para cima», referiu o ministro Manuel Caldeira Cabral, que acredita que “haverá um impacto imediato, mas o crescimento maior será, certamente, visível a médio e longo prazo, com a diversificação da oferta em termos culturais”.

De acordo com Manuel Caldeira Cabral, o programa, orçado em 1,5 milhões de euros, pretende diversificar a oferta turística do Algarve entre os meses de Outubro e Maio, aumentando os motivos de interesse na época baixa do turismo, em complemento ao sol, clima e gastronomia”.

“Cada vez mais, os destinos turísticos se diferenciam também pela oferta cultural e pela animação que têm. Este programa começa em Outubro quando a afluência de turistas é menor, e pretende dar mais animação às várias cidades do Algarve, dar mais vida aos monumentos, fazendo com que quem visita o Algarve na época baixa encontre outros motivos de interesse”, para destacar que “O Algarve não fecha na época baixa e é essa a ideia que queremos transmitir”.

O presidente da Região de Turismo do Algarve Desidério Silva também salientou que a região já há muito estava preparada para um programa desta natureza. “Este programa só peca por tardio. As ideias já cá estavam há muito, mas faltava a vontade da parte do Poder Central para financiar. Felizmente, o actual Governo vê nisto um investimento e não uma despesa, como nós achamos que é”, indicou.

Toda a programação pode ser seguida na página de Facebook do evento, que se divide em diferentes áreas de actuação, nomeadamente literatura, memória, património material e imaterial, música, teatro, gastronomia e paisagem.