700 mil euros vão promover a marca Fátima (correcção)

Foi apresentado esta quinta-feira em Fátima o projecto “Fátima 2017: Acções para consolidar uma marca”, que define a estratégia promocional a implementar em 2017, ano em que se celebra o Centenário das Aparições e se confirma a visita à Cova da Iria, a 12 e 13 de Maio, do Papa Francisco. 

Numa clara conjugação de esforços e sinergias para uma promoção conjunta e concertada da marca “Fátima”, foram assinados protocolos entre a ACISO – Associação Empresarial Ourém-Fátima, o Turismo de Portugal, a Turismo do Centro e a Câmara Municipal de Ourém, para levar a efeito a projecção da marca Fátima.

É objectivo da ACISO, complementar o trabalho promocional desenvolvido pelo Turismo de Portugal não duplicando esforços, como afirmou Alexandre Marto, vice-presidente desta Associação. As apostas previstas por este protocolo, vão ser feitas nos EUA, Brasil, Colômbia, México, Coreia do Sul e Filipinas, estando previsto um montante de investimento da ordem dos 700 mil euros.

O 5º Workshop Internacional do Turismo Religioso que vai realizar-se em Fátima a 9 e 10 de Março, e prevê a presença de 600 participantes entre os quais muitos buyers internacionais, já está englobado neste projecto que vai buscar 264 mil euros ao “Portugal 2020”, 138 mil ao Turismo de Portugal, 42 à Turismo do Centro e 95  à Câmara Municipal de Ourém, com a ACISO a ficar responsável por encontrar financiamentos / apoios para os 160 mil euros em falta.

O objectivo da promoção externa nos países citados passa por: aproveitar a visibilidade mediática que o Centenário oferecerá para promover Fátima, a região e Portugal no contexto do Turismo Religioso; promover Fátima e Portugal como destino religioso; promover os operadores nacionais como interlocutores preferenciais na venda de Fátima; promover o evento “Procissão das Velas” como potenciador do número de noites; promover Fátima junto a destinos emergentes e ainda promover a região e o país como valor acrescentado à âncora Fátima.

Com estas acções, os empresários de Fátima esperam vir a resolver alguns dos problemas que ainda subsistem, nomeadamente a baixa taxa de ocupação e o baixo preço médio de venda por cama, assim como alavancar a procura nos anos após o Centenário.

Hoje Fátima tem um dos maiores parques hoteleiros do país, com 53 empreendimentos turísticos que totalizaram, o ano passado, 727.904 dormidas, valor que representa 14,39% das dormidas na região Centro de Portugal. Deste total de dormidas, cerca de 70% são de estrangeiros “invertendo os números da região Centro, em que apenas 30% das dormidas são de estrangeiros”, salientou Alexandre Marto.