7º Congresso da APECATE vai debater sustentabilidade e custos de contexto

A responsabilidade do Turismo na sustentabilidade dos recursos naturais e patrimoniais, a legislação laboral e custos de contexto são dois dos principais temas que estarão em discussão no 7º Congresso da APECATE, que terá lugar nos dias 30 e 31 de Janeiro e 1 de Fevereiro, na cidade da Horta (Açores).

Enquanto associação que congrega as empresas de animação turística e os organizadores de congressos e eventos, estas questões constituem uma das grandes preocupações da APECATE, cujo congresso vai debruçar-se sobre a temática principal “Da moda à consolidação – caminhos e desafios do Turismo em Portugal”.

O painel dedicado à sustentabilidade começa com duas intervenções oriundas de dois destinos portugueses em vias de certificação ambiental – o Alentejo (certificação Biosphere), com uma comunicação de António Ceia da Silva, presidente da ERT Alentejo/Ribatejo, e os Açores (certificação Global Sustainable Tourism), com uma comunicação a cargo da secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, Marta Guerreiro. Participa também Olga Romão, sobre um projecto inovador da Sustenturis, assente em parcerias de que a APECATE faz parte, e que tem como objectivo a gestão sustentável dos programas turísticos, através de uma aplicação mobile que permite, em tempo real, canalizar o turista para percursos e lugares sem cargas excessivas, logo sem filas intermináveis de espera.

O painel 3, sobre legislação laboral e custos de contexto, contará com intervenções de Paula Vieira, em representação da ACT – Autoridade para as Condições de Trabalho, e de Francisco Sá Nogueira que falará sobre os custos de contexto.

Mais informações e inscrições, em http://apecate.pt/vii-congresso-apecate/