Açores: turismo cresce no primeiro semestre

Os dados estatísticos do turismo nos Açores referentes aos primeiros seis meses de 2018 revelam um crescimento em todas as tipologias de alojamento, em especial no Alojamento Local que viu um crescimento de 37,5% dos hóspedes e de 32,5% nas dormidas.

A informação estatística referente à actividade turística por tipo de alojamento foi publicada pelo SREA – Serviço Regional de Estatística dos Açores, no final do passado mês de Agosto. A publicação revelou que de Janeiro a Junho de 2018 houve um crescimento de 5,3% nas dormidas em todas as tipologias, com o AL a ser a que apresentou maior crescimento, enquanto a hotelaria tradicional se ficou por uma subida de 0,2% nas dormidas e de 2,3% em número de hóspedes.

Em comparação com o período homólogo de 2017, as ilhas com maior crescimento foram o Corvo com uma variação de 14,3% que se revela num total de 1.384 de dormidas em todos as tipologias, seguido do Pico com 14,1% para (46.165 de dormidas), das Flores com 11,7% (16.165 de dormidas), e da Terceira com um crescimento global de 7,5% para um total de 707.874 de dormidas.

A Terceira foi onde se verificou o maior crescimento a nível do Alojamento Local, com uma variação de 78,8%, para 29.342 dormidas. Crescimento que se verificou também em São Miguel, com 143.162 dormidas, numa subida de 31,4%. A nível de número de hóspedes, a taxa de crescimento do AL é mais acentuada que nas dormidas. As ilhas com crescimentos mais elevados foram a Terceira com 82,1%, seguida das Flores com 46,7%, do Pico com 40,8% e de São Miguel com 35,5%.

Em declarações à Lusa, a secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo, Marta Guerreiro, considera que estes números são resultado “da dinâmica que [a Terceira] tem tido em termos turísticos, para a qual de certeza que também contribuem, de forma significativa, as operações, quer dos Estados Unidos, quer da Europa, que têm apostado na componente com os empresários, na área privada”.

Marta Guerreiro afirmou ainda que “no aspecto da sazonalidade nós conseguimos crescer mais nos primeiros meses do ano […] contrariando a tendência da concentração dos fluxos no Verão”, resultado da estratégia de “crescimento sustentado”, com “campanhas realizadas para dinamizar a procura dos Açores fora da época alta”. Para o futuro afirma ser precisa “uma análise muito pragmática e, sendo certo que mantemos o objectivo de continuarmos uma evolução positiva, não é, nem deve ser, expectável manter ritmos de crescimento tão acentuados quanto estes que verificámos nos últimos anos”.