Aeroporto de Beja pode complementar Lisboa e Faro

A ideia foi transmitida por Manuel Tão, investigador da Universidade do Algarve, à margem de uma sessão sobre acessibilidades e transportes promovida em Beja pela Plataforma Alentejo – Estratégia Integrada de Acessibilidade Sustentável do Alentejo nas ligações Nacional e Internacional.

Em declarações à Agência Lusa, o investigador avançou mesmo que o Aeroporto de Beja pode servir a capital, Setúbal, Algarve e ainda a Extremadura espanhola desde que seja colocado transporte ferroviário que ponha os passageiros nestas regiões até 90 minutos.

O aeroporto alentejano “é uma opção técnica e economicamente exequível como complemento aos aeroportos de Lisboa e Faro”, afirmou, sublinhando que, como alternativa, o aeroporto alentejano tem “uma vantagem muito grande” face a outras soluções: “está pronto a usar”.

Lembrando que o aeroporto de Lisboa está esgotado e que o de Faro “vai esgotar rapidamente”, o especialista sublinha que a área de influência do aeroporto de Beja “pode estender-se” à Grande Lisboa, à Península de Setúbal e ao Algarve desde que seja servido por um “transporte terrestre rápido capaz de colocar os clientes em 90 minutos ou menos” naquelas zonas, o que apenas será conseguido com a modernização de vários troços ferroviários. “Não é possível viabilizar o aeroporto de Beja sem recurso ao transporte ferroviário”, garantiu.