Agências de viagens repatriaram 27.500 portugueses até 20 de Março

Desde que o surto do novo coronavírus foi declarado pandemia e até à ultima sexta-feira, dia 20 de Março, as agências de viagens já tinham repatriado 27.500 portugueses, mas segundo avançou o presidente da APAVT, ainda havia mais 2.500 para repatriar, em 99 países.

As agências de viagens portuguesas têm feito um esforço inigualável para trazer de volta a Portugal os seus clientes espalhados pelo mundo.  Em declarações à agência Lusa, Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT contou na sexta-feira que “quando foi declarada a pandemia tivemos a noção de que estariam em causa cerca de 30 mil passageiros que teriam que antecipar o seu regresso. Desde esse dia e até hoje, já foram repatriados 27.500 passageiros, ou seja, existem 2.500 portugueses, que registaram a sua viagem por uma agência, que estão em 99 destinos diferentes e querem regressar”.

O problema que agora se coloca é o de não haver voos, o que torna o repatriamento dos turistas portugueses muito complicado. Por outro lado, os 2.500 portugueses que resta repatriar estão mesmo espalhados pelo mundo já que estão em 99 destinos diversos sendo que, de acordo com Pedro Costa Ferreira, só em países como Brasil, Cabo Verde, Angola, Espanha e Holanda, há mais de uma centena de passageiros que reservaram as suas viagens através de uma agência, e em todos os restantes países o número é muito menor.

Por não haver voos, afirma o presidente da APAVT, a solução seria a criação de corredores aéreos ou fazer concessões de slots em aeroportos fechados. Por isso diz que  “pode ter chegado a hora da [intervenção] política”, nomeadamente à escala europeia.

Pedro Costa Ferreira garantiu ainda que a APAVT está a trabalhar em conjunto com o Ministério dos Negócios Estrangeiros.