AHETA: mercado britânico voltou a subir em Agosto no Algarve

Com uma taxa média de ocupação apenas ligeiramente abaixo do mês homólogo do ano passado, o Algarve continua a enfrentar problemas com o mercado alemão, enquanto o mercado britânico mantém um bom comportamento, principalmente tendo em conta a incerteza em torno do Brexit.

Dados publicados esta quinta-feira pela AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve revelam que a taxa de ocupação global média/quarto do Algarve, no mês de Agosto, atingiu os 93,6%, apenas ligeiramente abaixo da verificada no mesmo mês do ano 2018 (-0,4%). No acumulado do ano, a taxa de ocupação quarto mantém-se praticamente ao mesmo nível do verificado no período homólogo de 2018 (+0,2%).

No que toca aos principais mercados geradores de turistas para a região, a AHETA revela que as maiores subidas foram protagonizadas pelos irlandeses, com +26,2%, e pelos britânicos (+2,9%). No pólo oposto situaram-se os mercados alemão (-19,1%) e o holandês (-5,4%) que foram os que apresentaram as maiores descidas.

Por se encontrar muito exposta ao mercado alemão, a zona geográfica de Lagos / Sagres foi a que registou a maior descida de ocupação em Agosto, com -8,1%. A AHETA refere ainda que “as restantes zonas geográficas e as diferentes categorias de empreendimentos turísticos registaram oscilações sem expressão significativa”.

A subir esteve uma vez mais o volume de vendas que apresentou em Agosto um aumento de 2,1%. No acumulado do ano, este indicador apresenta uma variação homóloga positiva de +2,7%.