AHP alerta para impactos da insolvência do Lowcosttravelgroup

A Associação da Hotelaria de Portugal alertou esta sexta-feira para os diferentes impactos da insolvência do Lowcosttravelgroup que prevê serem de “dimensões variáveis” e recomendou alguns procedimentos.

“O Lowcosttravelgroup era um grande operador turístico, com várias sub operadoras, e a sua falência irá seguramente afectar milhares de clientes e empresas em todo o mundo, inclusive em Portugal”, refere Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP.

A AHP acredita que a cessação de actividade deste grupo terá impacto não apenas pelo facto de envolver quatro empresas, atingido assim uma multiplicidade de clientes, mas também porque muitos dos clientes finais terão feito as suas compras “em outros motores (OTA) que por sua vez compraram àqueles”.

“É este efeito de “mancha de óleo” que irá gerar prejuízos elevados para as empresas”, explica Cristina Siza Vieira que sublinha: “É mais uma vez grave que a cessação de actividade deste grupo tenha apanhado grande parte do mercado de surpresa e que surja, como aliás outras falências, em pleno verão, com a operação já fechada. O impacto, sendo sentido por muitos hoteleiros, particularmente no Algarve, tem diferente escala, em razão da maior ou menor concentração da operação”.

A AHP afirma ter já alertado os seus associados sobre a situação e ter também recomendado quais os procedimentos a seguir” que são aliás os mesmos foram também apontados pelos administradores de insolvência já nomeados no Reino Unido. A Associação informou ainda ter já demonstrado “a sua preocupação junto do Turismo de Portugal, solicitando a intervenção do Instituto”.

A AHP destaca ainda que o comunicado emitido pelo Lowcosttravelgroup apresenta como procedimento regra o pagamento aos hotéis, podendo depois o cliente reclamar junto das seguradoras e/ou emitentes de cartão de crédito e registar queixa junto de um endereço electrónico.

Este procedimento, sublinha a AHP, sendo o correcto, deve ser antecedido de uma recomendação: que os clientes verifiquem previamente junto dos hotéis a confirmação dos termos e condições da reserva para, diz a AHP, “evitar surpresas e confusão no momento de check in”.