AHP aplaude dispensa de nadadores-salvadores

A AHP – Associação da Hotelaria Portuguesa mostra-se satisfeita com a recente alteração à Portaria nº311/2015, que veio dispensar a exigência de nadadores-salvadores em piscinas de empreendimentos turísticos.

Desde 2014, altura a exigência de dois nadadores-salvadores em todas as piscinas de uso público, que a AHP se vinha manifestando contra a medida, que considera “desrazoável” no que toca a empreendimentos turísticos com piscinas reservadas a usufruto de hóspedes.

Congratula-se agora, com a publicação da Portaria nº168/2016, que dispensa a obrigação de nadadores-salvadores mas não a obrigação de manter vigilância e meios de salvamento adequado, o que acontece em outros países da União Europeia.

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, explica que “a questão de desrazoabilidade de exigência de nadadores-salvadores nas piscinas dos empreendimentos turísticos foi objectivo de várias exposições da AHP à Secretaria de Estado do Turismo, desde 2014, tendo finalmente obtido resposta por parte do Governo”.