AHP destaca Açores e Madeira à cabeça das subidas em Maio

Dados da AHP Tourism Monitor referentes ao mês de Maio indicam que a taxa de ocupação por quarto da hotelaria nacional atingiu os 78,2%, verificando-se uma subida 3,9 p.p. em comparação com o mesmo período de 2015. Os maiores aumentos deste item tiveram lugar na Madeira e nos Açores.

Em Maio de 2016 a hotelaria da Madeira apresentou uma taxa de ocupação quarto de 92,16%, mais 9,3 p.p. em comparação com o mês homólogo de 2015. O preço médio por quarto ocupado foi de 67,89 euros e o RevPar de 62,57 euros mais 17,7% e 30,9%, respectivamente. Nos Açores, as unidades hoteleiras apresentaram uma taxa de ocupação quarto de 76,02%, mais 9,3 p.p. do que no período homólogo anterior. Os preços médios por quarto ocupado e disponível foram de 58,16 euros (igual ao valor de Maio de 2015) e 44,22 euros (mais 14% do que no mesmo mês do ano anterior).

As taxas de ocupação por quarto aumentaram as todas as categorias de hotéis, com destaque para os de 5 estrelas, onde a variação foi de mais 4,5 p.p. face a Maio do ano passado.

Os destinos turísticos com a taxa de ocupação quarto mais elevada foram Madeira (92,16%), Lisboa (89,04%) e Grande Porto (86,07%).

Na análise da AHP Tourism Monitor ao preço médio por quarto ocupado em Maio, este indicador registou uma subida de 11,1%, tendo-se fixado em 79,93 euros, enquanto o RevPar aumentou 16,9%, chegando aos 62,51 euros.

Os destinos turísticos com o RevPar mais elevado foram Lisboa (94,15 euros), Grande Porto (67,62 euros) e Madeira (62,57 euros).

A receita média por turista no hotel foi de 116 euros (mais 11,5% do que em Maio de 2015) e a estada média de 1,87 dias, igual valor em comparação com o período homólogo.

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, comenta estes resultados referindo que “a hotelaria nacional continua com uma boa performance e tem vindo a crescer sustentadamente desde o início do ano”, destacando a subida da taxa de ocupação nas ilhas e o maior crescimento do RevPar na Madeira, bem como a região do Minho quer em taxa de ocupação, quer em RevPar.