AHRESP prevê que participantes da Web Summit gastem mais de 61M€

A AHRESP prevê um impacto muito positivo da 3ª edição da Web Summit, que irá realizar-se de 5 a 8 de Novembro, em Lisboa na restauração e hotelaria, antecipando que os gastos totais dos participantes no evento ultrapassem os 61 milhões de euros.

De acordo com uma análise junto dos seus associados, a Associação dos Hotéis, Restaurantes e Similares de Portugal (AHRESP) estima que o número de hóspedes, em Novembro deste ano, aumente 12,4%, com os residentes no estrangeiro a registarem um acréscimo de 18%. De acordo com a associação, as dormidas deverão apresentar um crescimento homólogo de 13,5%, com o mercado externo a contribuir com um aumento de 17,3%. Já a taxa média de ocupação-cama poderá apresentar um crescimento de 5,0 p.p., situando-se nos 55,8%, e o RevPar (rendimento médio por quarto disponível) deverá fixar-se nos 78€, +25,8% em termos homólogos.

A AHRES perspectiva ainda que os 70 mil visitantes possam gerar um gasto total, nos quatro dias do evento, de cerca de 61,6 milhões de euros, representando um gasto médio por dia de 220€, dos quais 120€ referentes ao alojamento e 50€ destinados à restauração e animação.

“Além do impacto directo na economia local, a Web Summit tem um benefício único na promoção de Portugal no estrangeiro e, uma vez mais, evidencia a capacidade do nosso país para organizar e acolher iniciativas à escala global. Acreditamos que este passa-palavra beneficia não só Lisboa com o país”, afirma a AHRESP em nota à imprensa.