Aigle Azur mantém passageiros e sobe load factor nas rotas portuguesas

A Aigle Azur manteve, em 2013, o volume de passageiros do ano anterior mas aumentou em dois pontos o load factor nos voos entre França e Portugal, o que leva Tiago Martins, delegado da companhia em Portugal, a afirmar que as “rotas para Portugal estão boas”, apesar de uma descida de 3% na facturação. “As rotas portuguesas, em termos de passageiros, mantiveram-se ao nível do ano de 2012, com um volume global à volta de 150 ou 160 mil passageiros. Em termos de load factor, crescemos dois pontos e, em termos de volume de facturação, descemos 3%”, disse o responsável ao Turisver.com, à margem da festa Galette des Rois, que a companhia promoveu ontem, em Lisboa. A manutenção do número de passageiros e a subida do load factor levam Tiago Martins afazer um balanço globalmente positivo das ligações a Portugal, ainda que o aumento da concorrência em Lisboa preocupe. “Globalmente, as rotas para Portugal estão boas. Em termos de quota de mercado estamos bem, não termos perdido passageiros nem load factor já foi positivo, apesar da descida da receita ser mais complicada. Isto deveu-se à entrada de novos concorrentes nas rotas, nomeadamente em Lisboa”, afirmou. Quanto aos restantes destinos portugueses, o delegado da Aigle Azur em Portugal diz que apresentam bons desempenhos, com a operação para Faro, que decorreu entre Abril e finais de Outubro, a funcionar “muito bem”, enquanto o Porto se encontra “estável”. “Em Faro, foi um ano sensacional, funcionou muito bem em termos de receita e de volume de passageiros. O Porto também está muito bem, está estável e vamos fazer umas optimizações nas relações do nosso programa para o próximo Verão”, explicou Tiago Martins. Na rota para a Madeira, os resultados foram igualmente animadores, com o delegado da companhia para Portugal a revelar “um crescimento bastante razoável” e boas expectativas para 2014, até porque a saída da SATA da rota deverá levar a um aumento de facturação, o que permite pensar num reforço da rota com mais uma ligação. À semelhança da rota madeirense, também em relação aos restantes destinos portugueses Tiago Martins se mostra optimista, considerando que “2014 vai ser um bom ano”, até porque a entrada no longo curso, com a abertura da rota para Pequim, na China, a 28 de Junho, vai “oferecer mais possibilidades” e permite boas perspectivas. I.M.