Air Transat inicia renovação de frota

A companhia aérea canadiana Air Transat Já recebeu o primeiro dos 15 Airbus A321neoLR com que vai renovar a sua frota. Até 2022, a companhia irá ter uma frota integralmente constituída por Airbus.

Annick Guérard, directora operacional da Transat, comenta que “o Airbus A321neoLR personifica o ponto em que a Air Transat se encontra actualmente e a trajectória que definimos para os próximos anos. Confirma a nossa posição como líderes do turismo sustentável, proporcionando aos nossos passageiros uma experiência de voo de qualidade superior”.

A responsável sublinha ainda que o longo alcance do novo Airbus A321neoLR “optimizará as operações nos nossos mercados principais, designadamente os nossos destinos na Europa, Caraíbas e América Central e do Sul”. O novo avião permite também economizar os gastos com o combustível já que os seus motores têm os níveis mais baixos de consumo de combustível da sua classe (-15% que a anterior geração Airbus) além de reduzirem o ruído em 50% e produzirem cerca de 5000 toneladas a menos de CO2 por ano. Além disso, as emissões de NOX, que contribuem para a formação de poluição e chuvas ácidas, ficam diminuídas em 50%.

Ao entrarem no novo avião, os passageiros entrarão também numa cabina totalmente redesenhada de molde a garantir a melhor experiência de voo possível. A Classe Club, com uma cabina exclusiva e serviço personalizado, recebeu uma nova imagem. Os 12 assentos azuis escuros em pele natural, com ecrãs tácteis individuais maiores, são ainda mais ergonómicos e têm um apoio para pernas, proporcionando o máximo conforto.

Na Classe Económica, os 187 assentos azuis claros em pele natural são mais largos do que os de gerações anteriores do Airbus, proporcionando aos passageiros mais espaço pessoal. Estão equipados com um sistema de entretenimento de última geração, com ecrãs tácteis individuais maiores e portas USB para carregar dispositivos electrónicos.

O segundo Airbus A321neoLR da Air Transat tem entrega prevista para Junho, seguindo-se mais quatro no outono de 2019. Os novos aviões serão gradualmente integrados, resultando numa frota constituída integralmente por Airbus até 2022.