Aldeamento sustentável Monsanto Verde avança com “luz verde” do TP

A sociedade de gestão “Monsanto Verde, Lda.” acaba de ver aprovada a sua candidatura ao Turismo de Portugal para a instalação de um aldeamento de 4 estrelas, perto da Aldeia Histórica de Monsanto, no concelho de Idanha-a-Nova, fruto de um investimento de 10 milhões de euros.

O aldeamento será composto por 44 moradias ecológicas e um edifício de apoio, definido como “Casa da Herdade”. O complexo de 160 camas situa-se numa herdade agrícola de 238 hectares, propriedade de Henri Salas. Propõe um modo de vida sustentável, combinando o activo de residentes e turistas com uma envolvente total de agricultura biológica participativa.

O gestor do projecto, Rui Gomes-Pedro, adianta que o “investimento de mais de 10 milhões de euros contempla residências, hotelaria, restauração e explorações agrícolas diversas, todas elas biologicamente certificadas”. Em Monsando Verde “oferecemos uma vida em plena natureza, seja para quem ali queira residir em permanência ou fazer turismo num território que é reserva natural e protegida pela UNESCO”.

O número de moradias previstas corresponde à capacidade adequada para o território. De forma a habitar em comunhão com a natureza houve um cuidado especial para que, de forma equilibrada, a vegetação espontânea garantisse privacidade e facultasse também a cada posição um horizonte de natureza. Os acessos às moradias fazem-se pelos caminhos de outrora, parte deles já recuperados e reabilitados.

A escolha de Monsanto para a instalação deste projecto teve em consideração factores como a boa imagem de Portugal no mercado francófono, a centralidade ibérica da região, que se encontra a meio caminho entre Lisboa e Madrid, e boas acessibilidade e políticas locais alinhadas com a promoção dos valores ambientais.

Armindo Jacinto, presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova explica que o empreendimento Monsanto Verde vai ao encontro da estratégia de sustentabilidade do território, que “assenta na criação de riqueza e emprego, através da aposta na economia verde, na economia circular e nos circuitos curtos de comercialização, valorizando os nossos recursos naturais e o nosso património”.

O projecto tem como objectivo deixar uma marca positiva na comunidade, com impacto na economia local e parcerias com escolas de ensino profissional e superior. O mote da Monsanto Verde é a “arte de viver do futuro”, em que se combina conhecimento ancestral e tecnologias recentes.