Algarve: mercado nacional compensa quebra dos estrangeiros

De acordo com os dados preliminares divulgados hoje pela AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, taxa de ocupação e volume de vendas em Janeiro não revelaram grandes alterações em termos homólogos, mas foi o mercado nacional que compensou as quebras dos principais mercados estrangeiros.

Relativamente a 2018, o mês de Janeiro de 2019 apresentou na região do Algarve uma taxa de ocupação global média/quarto de 34,4% valor que representou uma descida de apenas 0,3pp face ano passado, mas consideravelmente abaixo do valor registado em Janeiro de 2017, quando foram ultrapassados os 35%. Mais longe ainda ficam os mais de 40% de taxa média de ocupação verificados em Janeiro do ano 2000.

O mercado que apresentou a maior descida absoluta em termos homólogos foi o holandês, com -0,5pp, seguido pelos mercados britânico e alemão, ambos com -0,3pp. Em contraciclo, o mercado nacional registou uma variação positiva de 0,7pp, acabando por compensar a performance negativa dos principais mercados externos.

Ainda no que se refere ao mês de Janeiro, a AHETA avança que o volume de vendas também não sofreu alterações face ao mesmo mês do ano passado.

A Associação alerta ainda que no acumulado dos últimos 12 meses a taxa de ocupação quarto na região registou uma descida média 1,1%