Algarve quer tornar-se destino gastronómico de referência

O Algarve está a dar os primeiros passos com vista a tornar-se um destino gastronómico de referência. Para tal, a RTA acaba de apresentar o estudo “Turismo culinário e enológico – Conhecer o mercado, as tendências, definir a cadeia de valor e estratégias de comercialização/internacionalização”.

O estudo tem por intuito analisar o conceito de turismo culinário e enológico, avaliando o potencial da procura e o perfil do turista, identificando as tendências de mercado e definindo a cadeia de valor e as melhores estratégias de comercialização/internacionalização, para servir de base à elaboração de novas ofertas para a região do Algarve.

Os turistas culinários têm como principal motivação da viagem a participação em actividades de culinária, interagindo com pessoas e locais que permitam entender diferentes contextos gastronómicos e enológicos, quer do ponto de vista dos alimentos, como também na sua confecção/transformação, enaltecendo a história, tradições e os usos e costumes locais e culturais. Na era da globalização, procuram autenticidade e experiências únicas.

O estudo analisou, em diversas plataformas de comercialização, a oferta de turismo culinário e enológico existente em Portugal e noutros mercados europeus. Portugal revela ainda uma oferta reduzida, tendo sido identificados apenas 37 programas de Turismo Culinário e Enológico, dos quais 9 no Algarve. No documento é também possível encontrar uma análise mais detalhada da programação oferecida nestas plataformas para Itália, França, Espanha e Grécia, destinos que apresentam uma oferta mais estruturada e diversificada. Foram também identificados os principais stakeholders nacionais e internacionais que possam dar apoio ao desenvolvimento de novos conceitos e programas, assim como à definição de posicionamento, comercialização e internacionalização de futuros programas de turismo culinário e enológico no Algarve.

As peculiaridades da cozinha local e a riqueza dos produtos endógenos do Algarve, bem como os cenários únicos da região, serão o ponto de partida para criar programas e propostas temáticas que colocam a comida e os produtos locais no centro do desenvolvimento deste produto turístico no destino, enaltecendo a singularidade da gastronomia local para se destacar dos concorrentes.