ANT quer liderar agenda para a competitividade, crescimento e inovação

A Associação Nacional do Turismo pretende liderar uma agenda “para a promoção e potenciação da competitividade, do crescimento e da inovação do sector do turismo”. Neste sentido, como foi decidido em Assembleia Geral a 30 de Setembro, vai retomar a apresentação da “Agenda Intervenção Pública da ANT – Biénio 2015-2017”, fazendo chegar as suas preocupações e propostas ao governo que sair das eleições legislativas.

O documento reúne diversas propostas e exigências da ANT para o crescimento sustentável do turismo, nomeadamente ao nível das competências e atribuições da Entidades Regionais de Turismo, da promoção turística externa, do quadro comunitário de apoio Portugal 2020, do Plano Nacional Estratégico do Turismo e ainda do novo regime de alojamento local e da legislação laboral e políticas de emprego, entre outras.

Na Assembleia Geral foi também apreciada a contribuição da ANT relativamente ao documento “Turismo 2020 – cinco princípios para uma ambição” que vem substituir o PENT e sobre o qual elaborou um documento já entregue ao Turismo de Portugal.

O desenvolvimento de um Projecto de Estruturação do Alojamento Local Nacional, em parceria com a AHRESP e o Turismo de Portugal, e a questão da informação estatística relativa ao sector foram outros dos temas abordados na Assembleia Geral de dia 30 de Setembro, onde foi colocada a “possibilidade de se estabelecer um protocolo ANT/INE para que se trabalhe em conjunto os movimentos do sector e da actividade, nas regiões, e se possível, ir até ao detalhe da composição territorial”, segundo se lê na nota informativa chegada à nossa redacção.

A Assembleia aprovou ainda a admissão de novos associados (APTECE – Associação Portuguesa de Turismo de Culinária e Economia, ADHP – Associação Directores de Hotéis de Portugal, FPA – Federação Portuguesa de Autocaravanismo, ARAC – Associação Industriais de Aluguer de Automóveis Sem Condutor, e da Orbitur), tendo decidido também a adesão da ANT “como sócia fundadora da Associação Turismo Militar Português e respectiva integração nos órgãos sociais, na qualidade de  Presidente do Conselho Fiscal”.