Antigo “Pão de Açúcar” vai ganhar nova vida e novo hotel

Após várias décadas de abandono, o edifício da Avenida Fernão Magalhães, no Porto, vai dar lugar a novos espaços comerciais, serviços, escritórios, residências com serviço e um hotel. O novo Edifício Pacífico conta com um investimento de 97 milhões de euros.

Com conclusão prevista para o último trimestre de 2022, o projecto conta com assinatura da Lucios Real Estate, que propôs a reformulação profunda do projecto inicial, inspirando-se nas novas dinâmicas do Porto e potenciando a capacidade atractiva do centro da cidade. O Edifício Pacífico vai ocupar uma área de cerca de 49.000m², com um supermercado, ginásio, escritórios, residências com serviços e hotel.

A construção do antigo edifício foi iniciada em 1974, altura em que estava destinado a ser um parque de estacionamento e galeria comercial. De momento, encontra-se inacabado, representado um problema e uma ameaça para a cidade, pelo aspecto abandonado e pelos vários anos de desgaste a que foi exposto. Com a sua reinvenção em Edifício Pacífico prevê-se a criação de mais de 800 postos de trabalho.

O empreendimento será construído em harmonia com a sua envolvente, conjugando no total quatro volumes, onde haverá também um parque de estacionamento público. Serão também feitas alterações no âmbito do domínio público, nomeadamente com a criação de uma praça pedonal e alargamento da Rua dos Abraços.

“Este é, provavelmente, o grande projecto do centro do Porto dos últimos anos, pelo que temos em mãos um desafio que exige uma enorme responsabilidade”, avança a administração do Grupo Azevedo’s, detentor da Lucios Real Estate, que acrescenta que “o nosso principal objectivo é devolver este espaço à comunidade, promovendo negócios, emprego e novas dinâmicas”.

Ainda não são conhecidos os nomes das empresas e marcas que se vão instalar no edifício, mas “há um enorme interesse pelo Pacífico, pelo que estamos a avaliar as melhores propostas para a cidade e para os objectivos do projecto”. A obra foi projectada pelo gabinete Sousa Lima & Rocha Reis e a execução ficará a cargo da construtora Lucios.