Apresentados resultados do projecto que visa diversificar a oferta turística da AM Lisboa

Foram apresentados os resultados do projecto “Tourfly, Inovação e Futuro: contributos para o desenho da oferta turística na Área Metropolitana de Lisboa”, com diversos protótipos de modelos de negócio prontos a ser implementados e eventos a ser organizados, bem como um livro e uma app para utilização dos visitantes.

O objectivo central do projecto “Tourfly” é alargar a marca Lisboa, como instrumento estratégico para a diversificação e organização da oferta turística na Área Metropolitana de Lisboa. Tal será feito através das indústrias criativas aplicadas ao turismo, do turismo de saúde e bem-estar, do turismo gastronómico e enoturismo, e de ofertas pioneiras na região como o dark tourism, o turismo voluntário, cinematográfico, criativo e literário.

Os resultados do projecto incluem oito protótipos de modelos de negócio, prontos a ser implementados por qualquer cidadão, e 10 propostas de eventos, que as câmaras municipais e empresas turísticas, entre outros, podem organizar, tal como estão ou em versões adaptadas. As propostas de eventos apresentam uma ideia, um lugar, actividade e duração. Todos os resultados do projecto podem ser consultados em tourfly.pt.

Outros resultados são um livro, disponível também em formato eBook, e uma aplicação móvel, disponível para iOS e Android. A app apresenta 10 áreas temáticas, em concreto Artes e Criatividades, Artes Performativas, Dark Tourism, Gastronomia e Vinhos, Herança Cultural – Festividades, Herança Cultural – Aldeias, Street Art, Turismo Cinematográfico, Turismo Literário e Turismo de Saúde e Bem-estar. Mostra propostas de itinerários e 816 pontos de interesse nos 10 concelhos da AML, que podem também ser adicionados por utilizadores.

Os resultados foram apresentados na Casa Mãe da Rota de Vinhos, em Palmela, a 22 de Maio. O projecto, apoiado pelo Portugal 2020, foi desenvolvido por uma equipa de nove investigadores da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, ISCTE-IUL Instituto Universitário de Lisboa e Instituto Politécnico de Lisboa, liderada por Graça Joaquim. Termina a 31 de Maio.

Na ocasião, Graça Joaquim explicou que a equipa tentou “procurar o que é mais invisível em cada zona”, num contexto em que o turismo nestes territórios é “fortemente deficitário em experiências turísticas plurais e territorialmente desconcentradas e integradas”. “O sucesso do ‘Tourfly’ tem a ver com a forma como a sociedade se apropriar do projecto”, conclui.