ARAC assume-se como associação de mobilidade

Na II Convenção da ARAC, realizada sexta-feira, 9 de Fevereiro, em Lisboa, ficou claro que esta entidade pretende assumir-se como uma associação de mobilidade e não apenas de rent-a-car. À margem do evento, o secretário-geral da ARAC, Joaquim Robalo de Almeida, deixaria no ar a possibilidade de alteração da denominação da Associação.

  

Numa Convenção que se debruçou sobre temas de grande importância para o rent-a-car, como os novos tipos de veículos, a condução autónoma, os novos conceitos de mobilidade de que o carsharing é apenas um exemplo, e a intersecção entre o rent-a-car, a mobilidade e o turismo, ficou claro que a ARAC pretende acompanhar a evolução dos tempos e assumir-se como associação da mobilidade, como o fizeram já também várias empresas multinacionais de aluguer de automóveis.

“A ARAC pretende assumir-se, a partir de agora, como uma associação de mobilidade e não apenas de rent-a-car, porque o futuro está aí, e está aí com novos meios de mobilidade, sejam eles o carsharing, o bikesharing e todos os outros meios de mobilidade”, explicou Joaquim Robalo de Almeida aos jornalistas no final da convenção. Questionado pelo Turisver.com sobre a possibilidade de a associação poder vir a mudar de nome, o secretário-geral da ARAC preferiu não dar para já uma resposta conclusiva: “Esse é um tema que adiante se verá”, respondeu, acrescentando que “a ARAC tem uma sigla forte” facto pelo qual “inicialmente teremos um alargamento a estas áreas da mobilidade porque a ARAC é uma associação dinâmica e não estática e evolui consoante o mercado e os tempos”.

O secretário-geral da ARAC fez ainda um balanço muito positivo desta segunda Convenção da Associação: “Os números falam por si”, disse, especificando que “tivemos mais de 330 inscritos e tivemos uma forte participação quer de empresas associadas quer de entidades públicas e privadas das mais variadas áreas ligadas ao rent-a-car, nomeadamente do turismo, da segurança rodoviária, do sector automóvel e da área financeira”.

Uma cada vez maior intersecção entre as actividades do rent-a-car e do turismo, bem como a alteração legislativa para o sector para que este possa responder de forma cada vez mais positiva a um mercado que é, também, cada vez mais dinâmico e exigente, foram dois temas muito abordados na II Convenção Nacional da ARAC.

Ao nível do novo regulamento da actividade assume grande importância a desmaterialização dos contratos de aluguer, que está garantida (ver https://www.turisver.com/ii-convencao-da-arac-contratos-aluguer-vao-poder-digitalizados/ ) e a inclusão de novas formas de mobilidade como o carsharing.

A proposta de alteração legislativa está com a ARAC que tem 10 dias para se pronunciar e, segundo Robalo de Almeida, existem ainda “algumas coisas que têm que ser limadas”. Mesmo assim, segundo o secretário-geral da ARAC, o novo regulamento deverá estar concluído em pouco mais de um mês, para entrar em vigor “em Abril ou Maio”.