Aviação só vai recuperar os níveis pré-crise em dois ou três anos

Quem o diz é Jerome Cadier, presidente da LATAM Brasil, que acredita que a recuperação do sector da aviação após a crise provocada pelo Covid-19 começará lentamente no segundo semestre e durará dois ou três anos, até que se atinjam os níveis de procura pré-crise.

Num vídeo dirigido aos executivos que compõem o grupo empresarial G100, mais tarde partilhado nas redes sociais, o responsável avança esperar que a procura “em algum momento no segundo semestre comece a recuperar, mas vai voltar, provavelmente, bastante lenta e só vamos regressar aos níveis pré-crise em dois ou três anos”. “Este é o tamanho do impacto desta crise”, exalta.

O presidente da LATAM Airlines Brasil começa o vídeo por explicar que o sector da aviação foi “um dos principais e primeiros a ser atingidos pela crise”, sendo que “há dois meses já vimos a venda de voos internacionais a cair vertiginosamente”, seguindo-se os voos domésticos. Em concreto para a LATAM Airlines explica que “as vendas estão a menos de 10% do que normalmente são, assim como está a operação diária de voos”.

Jerome Cadier explica que o problema está no facto da empresa não conseguir equilibrar a queda abrupta das vendas com os custos fixos que se mantêm elevados, o que implica que “tenhamos nos próximos meses um período muito complicado a enfrentar”. Desta forma, a companhia está preparada para, durante alguns meses, operar nos mínimos, “com os custos mais próximos do zero que é possível”, assevera o responsável.

O presidente da companhia aérea considera ainda que a procura por viagens, quando regressar, vai passar por uma transformação. “Os clientes neste momento têm uma experiência bastante diferente de como trabalhar e como experienciar o turismo, e do que fazer com os seus rendimentos, pelo que vão pensar na compra de produtos aéreos de uma forma diferente. Esta crise veio para reescrever a relação entre o cliente, a empresa e o governo”, conclui.