Best Western quer chegar aos 30 hotéis em Portugal e Espanha

O plano de expansão da Best Western prevê 30 hotéis em Portugal e Espanha nos próximos cinco anos. Para já, no país, estão a negociar seis unidades hoteleiras em Lisboa e arredores bem como no Porto, que poderão integrar a rede internacional.

Num encontro com a imprensa esta segunda-feira em Lisboa, Oriol Maresch, director de desenvolvimento e operações para Espanha e Portugal da Best Western, revelou que a cadeia procura hotéis independentes de diferentes categorias localizadas nas principais cidades e com uma média de 70 quartos ou mais “onde podemos influenciar melhor as vendas”.

A Best Western, que está em Portugal desde 1986, marca presença actualmente em apenas duas unidades hoteleiras: o Inca, no Porto, e o Dom Bernardo, em Faro. O grupo norte-americano foi fundado em 1946 tem actualmente mais de 4.200 hotéis em mais de 100 países, mais de mil dos quais na Europa. Todos os hotéis aderentes a esta marca são de gestão independente e não perdem a sua autonomia, tendo apenas que cumprir alguns requisitos, que passam, nomeadamente por ostentar a imagem Best Western, estar sujeito a um controlo exaustivo de qualidade e aderir às exigências tecnológicas e todo o branding associado.

Alguns hotéis em Portugal que pertenciam à Best Western acabaram por sair porque “não acompanharam a marca, pois é preciso investir na nova imagem e nas tecnologias”, disse o proprietário do Hotel Inca, David Ferreira, presente na conferência de imprensa, para acrescentar que “é preciso vestir a camisola e ter confiança na marca, porque os hotéis independentes têm muita dificuldade de viver sozinhos. É mais fácil crescer na marca do que sozinhos, e estamos a consegui-lo. Esta unidade é Best Western há mais de 15 anos.

Em compensação, as unidades hoteleiras que aderirem à Best Western ganham visibilidade, tornam-se mais fortes e competitivas, e têm os mais diversos apoios de um grande grupo, fornecendo até 30% do volume de negócios, recebem formação específica, têm redução de custos de intermediação, cartão de fidelização da cadeia com 28 milhões de aderentes, sistema de controlo de comentários dos clientes, presença nas redes sociais e nas principais feiras internacionais de turismo, bem como usufruem de acordos preferenciais com os sistemas mundiais de distribuição e com grandes centrais de compras.

A Best Western registou em 2015 um volume de negócios de 2,3 mil milhões de euros, e estima crescer 35% este ano, para atingir os 3,1 mil milhões de euros.

Com 70 anos, a rede tem vindo a reformular e a modernizar a sua imagem, bem como melhorar todo o seu sistema informático, novo site, aplicações móveis e sistemas de gestão. Desde 2010 a Best Western tem vindo a subdividir a marca, criando hoje brands para os diferentes tipos de hotéis, país e clientes-alvo: Best Western; ViB; Best Western Premier; Executive Residency; Best Western Plus; BW Premier Collection.