Boeing suspende produção do 737 MAX

A Boeing anuncia a suspensão da produção do 737 MAX a partir de Janeiro do próximo ano, dado o continuar da proibição de voo da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos da América, dando prioridade à entrega dos aviões armazenados.

“Devolver o 737 MAX ao serviço com segurança é a nossa prioridade”, lê-se na declaração da Boeing. “Sabemos que o processo de aprovação do retorno ao serviço do 737 MAX tem de ser extremamente minucioso, para garantir que os nossos reguladores, clientes e viajantes tenham confiança nas actualizações do 737 MAX. Continuamos totalmente comprometidos em apoiar esse processo”, avança a empresa.

Na declaração lê-se que desde a proibição de voo do 737 MAX, a Boeing tem continuado a construir novos aviões, contando agora com cerca de 400 em armazém. Assim, “decidimos dar prioridade à entrega dos aviões em armazém e suspender temporariamente a produção do programa 737”. A empresa justifica que a decisão foi tomada tendo em conta a extensão da avaliação pela FAA em 2020, dada “a incerteza dos timings e condições de regresso ao serviço, de aprovação de formação global”.