Bolsa de Turismo de Lisboa só em Março de 2021

A Fundação AIP anunciou sexta-feira o cancelamento da BTL 2020, marcando já a edição de 2021 para os dias 3 a 7 de Março. No entanto, a AIP “abre as portas” à possibilidade de realização, ainda este ano, de um evento dedicado “exclusivamente à promoção, suporte e apoio ao Turismo em Portugal”.

“A Fundação AIP, enquanto entidade organizadora da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa vem comunicar a todos os seus expositores, parceiros,   visitantes e media que devido à situação mundial que se vive actualmente com a pandemia do COVID-19 e seguindo as recomendações da DGS – Direção Geral de Saúde e da OMS – Organização Mundial de Saúde, entendeu cancelar a BTL 2020, que estava prevista realizar-se de 27 a 31 de Maio”, explica o comunicado difundido sexta-feira pela organização.

Explica ainda a Fundação AIP que “após auscultar diferentes parceiros e entidades públicas e privadas do Sector do Turismo concluiu que, face ao cenário evolutivo da pandemia, continuam a não estar reunidas as condições para poder assegurar a realização da BTL 2020”.

Por via disso, aquela que é a maior feira de turismo em Portugal regressará apenas entre os dias 3 e 7 de Março de 2021, tendo em vista assegurar “as melhores condições para o restabelecimento das dinâmicas geradas” pela feira, para a promoção dos produtos e serviços que integra e também para a participação dos visitantes, nacionais e internacionais.

Esperando poder realizar, em 2021, “uma BTL ainda mais decisiva para a dinamização da promoção e realização de negócios no sector do turismo” a Fundação AIP manifesta desde já a sua disponibilidade para realizar este ano um evento dedicado à promoção do turismo interno.

“A Fundação AIP, manifesta, no entanto, a sua disponibilidade para em conjunto com os entidades a quem incumbe a promoção do Turismo em Portugal, estudar a viabilidade de, ainda no decorrer de 2020, sujeito às condicionantes do quadro legal vigente, organizar um evento dedicado exclusivamente à promoção, suporte e apoio ao Turismo em Portugal que permita minimizar os impactos económicos decorrentes do Covid-19”, lê-se no comunicado emitido pela AIP.