Bragança “naturalmente” apostada em atrair turistas e duplicar estada média

“Bragança. Naturalmente!” é o claim da nova campanha de Promoção Territorial do Município de Bragança. Apresentada na quarta-feira, a campanha visa, numa primeira fase, atrair turistas nacionais, e posiciona o território como um destino “natural, seguro e autêntico”.

Estimular a retoma do turismo é o objectivo primeiro da nova campanha “Bragança. Naturalmente!”, em que o município bragantino investiu 30 mil euros. A campanha, que promove Bragança como um destino natural, seguro, próximo, tranquilo e autêntico, bem distante daquilo que oferecem os destinos massificados, aposta no mercado nacional e visa duplicar a média para “dois dias e meio a três dias” , quando actualmente se cifra em um dia e meio.

“Bragança tem qualidades ímpares que justificam uma visita atenta. É um território com condições únicas, onde quem nos visita pode sentir, de facto, aquilo que a pandemia nos privou: a liberdade, a segurança e a confiança”, refere Hernâni Dias, presidente da Câmara Municipal de Bragança, frisando que “Bragança. Naturalmente!” é uma oportunidade de recomeço para o turismo, não apenas para quem chega ao concelho, mas, sobretudo, para os nossos empresários do sector.”

Para capitalizar a actual propensão dos turistas para destinos naturais e seguros, o município estruturou como target, para a primeira fase da campanha, o mercado interno, “um grupo social de referência, com características sócio demográficas variadas”, esclarece a informação do município, mas também “a própria comunidade brigantina, enquanto grupo social de pertença (que têm a oportunidade de redescobrir a sua terra e aumentar o seu sentimento de pertença), e, por fim, o mercado da saudade”.

A campanha arranca com um vídeo promocional que coloca em evidência os atractivos locais, desde a natureza ao património, tradições e gastronomia, e que será replicada nas redes sociais e percorrerá o país em “outdoors” e autocarros.

Presente na apresentação da campanha, o presidente da ERT do Porto e Norte de Portugal, Luís Pedro Martins, garantiu que actualmente “os holofotes estão virados para o interior” pelo que se torna necessário “mostrar que, a poucos minutos de casa, consegue-se ter umas férias inesquecíveis”, para não deixar voltar atrás esta atenção que está a ser agora votada aos territórios de baixa densidade.