Brasil: novo ministro quer colocar o turismo no centro da agenda política e económica

O novo ministro brasileiro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que tomou posse em Brasília esta quarta-feira, pretende colocar o sector no centro da agenda política e económica do governo.

No seu discurso de posse, o governante, citado na página oficial do Ministério do Turismo, realçou que “esta será uma das minhas prioridades, já que o turismo é um vector para a geração de emprego e renda e desenvolvimento do país”.

A continuidade de acções e programas que têm vindo a gerar resultados, como o Prodetur + Turismo, visto electrónico, e concessões de parques naturais, também estão na agenda do novo titular da pasta do turismo.

Marcelo Antônio falou também dos desafios de sua gestão, entre eles, o de melhor aproveitar as vantagens comparativas do país, reduzir o custo Brasil, dar prosseguimento às acções de ampliação da conectividade aérea, melhorar o ambiente de negócios e incentivar o empreendedorismo com a redução da burocracia. “É hora de transformar todo o vasto potencial do Brasil a nível económico”, assegurou.

Natural de Belo Horizonte, o novo ministro do Turismo do Brasil tem 44 anos, e é licenciado em Engenharia Civil pela UniBH. Ingressou na política em 2012, tendo sido eleito vereador pelo PRB na capital mineira, mandato que exerceu até 2014, ano em que conquistou pela primeira vez uma vaga na Câmara dos Deputados, sendo reeleito em 2018 como o mais votado de Minas Gerais.

Em 2015 aderiu à Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo, que tem a missão de procurar incentivos para o sector e proporcionar a geração de emprego e renda a estados e municípios. Este grupo formado por deputados e senadores defendeu o avanço na tramitação de cerca de 50 propostas de interesse do segmento, tais como a actualização da Lei Geral do Turismo, medidas do Plano Brasil + Turismo, a capacitação de mão-de-obra, a facilitação de vistos a estrangeiros e a liberalização de jogos.