BTL Lab com programação desenhada pelo NEST e Amadeus

Segundo Dália Palma, gestora da BTL, em 2020 foi feito “um reforço numa grande aposta da BTL, que é a BTL Lab”. O espaço de inovação tem como parceiros o NEST – Centro de Inovação do Turismo de Portugal e a Amadeus, que juntaram sinergias para desenvolver os conteúdos para as Talks e na selecção das startups presentes.

Na edição deste ano da Bolsa de Turismo de Lisboa, a decorrer entre 11 e 15 de Março, a BTL Lab vai contar com a presença de cerca de 40 startups, “com projectos inovadores, que irão colocar sangue novo na nossa economia e nas empresas do sector do turismo”. Este espaço dentro da feira foi apresentado na manhã desta quinta-feira, num encontro com a imprensa em Lisboa, que contou com a presença de Roberto Antunes, director executivo no NEST, e Cláudio Santos, director comercial da Amadeus Portugal.

Segundo Roberto Antunes, através da parceria com a Amadeus foi criado um conjunto de Talks “que vai permitir endereçar três grandes temas que necessitam de mais espaço e palco”. Explica que estes temas “têm muito conteúdo para ser desenvolvido e, por outro lado, apresentar também muito pragmaticamente como é que isto se executa no dia-a-dia”. A estes três temas junta-se o conjunto de startups presentes, “uma montra de serviços em grande parte desconhecido dentro do próprio sector”.

Assim, o BTL Lab vai contar com três Talks, cada uma a decorrer num dos dias dedicados aos profissionais na BTL, entre 11 e 13 de Março. As Talks tratam de “três grandes carências dentro do sector do turismo”, como explica Roberto Antunes, sendo o primeiro tema o pensamento estratégico sobre a inovação, e “como fazer com que isso seja uma força motriz de crescimento constante das próprias empresas”. Considera que “as empresas precisam de se adequar e de garantir que têm essa capacidade de constante transformação”.

O segundo tema recai nos modelos de negócio, sendo que “com toda esta oportunidade tecnológica que existe, e também com as transformações constantes da própria procura, os modelos de negócios também vão sendo desafiados”. Roberto Antunes atesta que as empresas precisam de ter “capacidade elástica de irem alterando as suas redes de fornecimento, captação de informação, tratamento”. Este segundo tema contará com vários exemplos práticos por parte dos associados no NEST, como a Microsoft, Google e ANA Aeroportos.

A terceira Talk trata de tecnologia “pura e simples, que possa ser aplicada no próprio sector”. O director executivo do NEST considera que o turismo “é um sector que tem maior lentidão na adopção de tecnologia”. Neste tema serão discutidas “novas abordagens tecnológicas, aquilo que já existe, que já é feito lá fora e, em Portugal, o que de ponta também já está a ser utilizado”.

Cláudio Santos, que atestava que “a BTL é o evento de turismo em Portugal”, manifestou-se satisfeito com o continuar desta colaboração com a feira. Explicou que a missão da Amadeus na BTL está alinhada com a do NEST: “trazer conteúdo para dentro da feira, para quem visita e para quem expõe”. “A nossa missão é facilitar as viagens e existe ainda espaço para novas ideias, para considerar ainda mais Portugal como centro de propagação de inovação no turismo”, conclui.