Cabo Verde reabre fronteiras internacionais na 2ª quinzena de Agosto

Cabo Verde prepara-se para reabrir as suas fronteiras internacionais na segunda quinzena de Agosto e “muito provavelmente” irá exigir aos passageiros a apresentação de testes antecipados à Covid-19.

A notícia foi avançada esta quarta-feira à agência Lusa pelo ministro do Turismo cabo-verdiano, Carlos Santos, que não avançou data exacta para que Cabo Verde volte a receber voos internacionais. “Nós estamos a trabalhar para durante o mês de Agosto e, provavelmente, na segunda quinzena, fazer essa abertura gradual com outros países”, disse o ministro.

Sem voos internacionais desde 19 de Março, a reabertura de fronteiras chegou a estar agendada para 30 de Junho mas o aumento de casos no território levou ao adiamento dos planos. O governo está agora a preparar um dossier com todas as medidas sanitárias e legislativas que estão a ser implementadas no país, e que serão apresentadas à União Europeia, maior mercado emissor de turistas ao arquipélago, avançou Carlos Santos à Lusa, explicando que o governo quer “ter a certeza” que a saúde dos cabo-verdianos e de quem visita o país não esteja em perigo.

O governante acrescentou que o dossier será “brevemente apresentado” junto da UE e dos embaixadores dos países que interessam a Cabo Verde, para o país demonstrar que “está a fazer o seu trabalho de casa” e que está em linha com aquilo que são as boas práticas internacionais.

O que poderá atrapalhar de novo os planos do governo cabo-verdiano e afectar ainda mais o seu sector turístico, será a EU decidir a não reabertura das suas fronteiras externas a países terceiros. Para o ministro dos Transportes e Turismo de Cabo Verde, “este tipo de declarações obviamente que introduz algum receio, algum medo naquilo que é o potencial turista, o potencial visitante. Por isso, hoje nós temos sim de fazer o nosso trabalho de casa, que é preparar o país, o destino com medidas sanitárias que dêem tranquilidade e segurança àquele que nos irá visitar, e ir fazendo tudo a nível da promoção para que o país recebe os turistas”.

Também no sentido de dar maior segurança à população e aos turistas, o governo cabo-verdiano deverá impor a realização de testes antecipados à Covid-19, acompanhando aquilo que são as boas-práticas internacionais, avançou Carlos Santos.