Candidato a secretário-geral da OMT procura em Portugal apoio de países lusófonos

O candidato a secretário-geral da OMT, e ministro da Indústria e Turismo do Zimbabwé, Walter Mzembi, esteve em Portugal em busca de apoio não só do nosso país, como vogal no Conselho Executivo da organização, à sua candidatura, mas também de todo o mundo lusófono.

Walter Nzembi lança-se à corrida do cargo de secretário-geral da OMT devido ao anúncio de retirada de Taleb Rifai no final de 2017. As eleições para o seu sucessor têm lugar durante o Conselho Executivo da OMT que se reúne em Espanha, em Maio do próximo ano.

O ministro da Indústria, Turismo e Hotelaria do Zimbabwé manteve em Lisboa reuniões com altos responsáveis do governo ligados ao turismo, e encontrou-se com a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

Na ocasião, os dois governantes abordaram não só questões que dizem respeito à OMT, como às relações entre os dois países.

“Com as nossas já excelentes relações com Moçambique e Angola – membros da SADC – e nossa amizade crescente com o Brasil, é lógico que nos envolvemos com Portugal, uma nação europeia líder com ligações históricas em todo o globo. Isto inclui, naturalmente, o continente africano, e na verdade também o Zimbabwe”, disse o ministro, realçando o crescimento significativo que o turismo em Portugal tem experimentado, para enfatizar ainda que o seu país pretende “aprender como a experiência e conhecimentos portugueses no domínio do desenvolvimento turístico”.

Durante a reunião surgiu uma clara convergência de pontos de vista sobre o estado do turismo global e sobre o papel da OMT para enfrentar os desafios que a indústria confronta actualmente.

Salientando a importância do turismo como um componente essencial do desenvolvimento económico e criação de emprego, o ministro insistiu que o turismo era também um veículo eficaz para construir pontes entre os povos de diferentes culturas e crenças, e um factor-chave, assim, para a promoção e manutenção da paz global.