Cavaco Silva culpa descida do IVA da restauração pela degradação do SNS

Para o ex-presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, a descida do IVA da restauração é uma “medida profundamente injusta” e uma das “opções políticas erradas” tomadas pelo actual Governo que responsabiliza pela degradação do Serviço Nacional de Saúde.

Falando quarta-feira, 3 de Abril, na apresentação do livro “A Reforma das Finanças Públicas em Portugal”, de Joaquim Miranda Sarmento, Cavaco Silva responsabilizou o Governo e a maioria de esquerda por terem tomado “opões políticas erradas” como a descida do IVA da restauração de 23 para 13%, que responsabilizou pela degradação na saúde.

Esta medida foi mesmo classificada pelo ex-Presidente da República como uma “medida profundamente errada e profundamente injusta” que, na sua opinião, beneficia produtores e consumidores com rendimentos “acima da média”.

“Não posso deixar de ligar a perda de receita com a descida do IVA da restauração à acentuada degradação da qualidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS). O benefício concedido ao sector da restauração está a ser pago pelos utentes do SNS sob forma de degradação da qualidade dos serviços que lhes são prestados, utentes que não dispõem de rendimentos para recorrer aos privados”, disse.

A esta medida associou também a descida das 40 para as 35 horas de trabalho semanal para os trabalhadores do sector da saúde: “É assim claro que a degradação dos serviços públicos da saúde se deve a decisões políticas erradas tomadas, provavelmente, com propósitos eleitoralistas”.