Circuito mundial de surf vai revitalizar negócio turístico em Peniche

A autarquia de Peniche acredita que o retorno do Moche Rip Curl Pro Portugal 2015 – circuito mundial de surf -, que decorrerá na praia de Supertubos, de 20 e 31 de Outubro, para a economia local atinja este ano os nove milhões de euros de facturação e gere aproximadamente um milhão de euros em impostos, para além da visibilidade mediática de que vai gozar a região.

Numa altura em que acabou o Verão, António José Correia, presidente da Câmara de Peniche, estima que durante a realização do campeonato mundial de surf a hotelaria “volte a registar uma ocupação de 100%”. Há que contabilizar ainda os impactos positivos nas áreas da restauração, comércio e das actividades marítimo-turísticas.

O autarca falava na cerimónia de assinatura do protocolo de parceria no âmbito da “Campanha de Promoção da Marca Oeste Portugal associada ao Moche Pro Portugal by Rip Curl 2015”, entre a Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal, a Comunidade Intermunicipal do Oeste e a Câmara Municipal de Peniche. O protocolo de parceria assegura uma verba superior a 400 mil euros para a campanha.

O investimento decorre do reconhecimento do “impacto mediático internacional de que goza esta prova do circuito mundial de surf, com potenciais reflexos na procura turística internacional do destino Oeste e na região Centro”, refere o protocolo.

Para o presidente do Turismo do Centro, Pedro Machado, “reforçar este apoio na activação da marca, é a forma que encontrámos de podermos activar a marca Oeste, no contexto nacional e internacional”, já que o surf “valoriza um dos melhores produtos desta região, associada ao mar”.
Pedro Machado lembrou ainda os efeitos imediatos desta competição, realçando que “Há hoje negócio que começa a ser feito nesta região alavancado por força de conquistarmos nos últimos três anos de forma consecutiva esta grande prova”.