Cláudia Monteiro de Aguiar reivindica ajudas directas para o turismo português

Em audiência parlamentar esta terça-feira, Cláudia Monteiro de Aguiar deu voz às posições e medidas apresentadas pela Task Force do Turismo há cerca de duas semanas, afirmando que “a Comissão Europeia não está a fazer o suficiente, esperávamos muito mais”.

A eurodeputada interveio na audiência parlamentar da Comissão dos Transportes e Turismo do Parlamento Europeu, com o comissário responsável pelo sector, Thierry Breton, que serviu para discutir o impacto da pandemia Covid-19 no sector do turismo e das viagens. As críticas acimas enunciadas foram a reacção de Cláudia Monteiro de Aguiar à apresentação da visão sobre o sector anunciadas por Thierry Breton.

Foi avançado que a Comissão entregaria respostas e um plano de recuperação do sector numa Conferência Europeia de Turismo em Setembro, com a deputada do PSD a lembrar que “se não apresentarmos soluções agora e aguardarmos por Setembro será o fim de muitas micro, pequenas e médias empresas”, pelo que “o sector precisa de apoio directo para o imediato”.

Para Portugal, o terceiro país dos 27 Estados-Membros que mais depende do turismo, cujo contributo do sector para o PIB é de 16,5%, Cláudia Monteiro de Aguiar pede compromisso e coragem da Comissão em “apresentar a linha de orçamento para o turismo que o Parlamento tem vindo a pedir há anos”, e que “independentemente do formato, o crucial é que as medidas apoiem os Estados-Membros mais afectados, com base no critério do impacto do turismo no PIB”.

Já Thierry Breton na sua intervenção assegurava que “o turismo e as viagens de todas as pastas que sou responsável enquanto comissário está nas minhas prioridades, porque não é apenas um dos sectores mais afectados, mas também aquele que vai demorar mais tempo a recuperar”. Desta forma, é necessário “reinventar o sector usando as novas realidades digitais, da sustentabilidade e económicas”, com a União a precisar e um “Marhsall Plan” em que o turismo será o primeiro beneficiário.