Comboio histórico do Douro transportou quase 6 mil turistas este ano

O comboio histórico do Douro já transportou 5.677 passageiros nesta época marcada pelo regresso da locomotiva a vapor e numa altura em que faltam realizar 15 viagens até ao final da campanha, traduzindo-se numa taxa média de ocupação de 85,9%.

A CP deu início em Junho à campanha 2016 do comboio histórico do Douro, que prevê a realização de 40 viagens até 22 de Outubro, com partida da estação de Peso da Régua, distrito de Vila Real, até ao Tua, distrito de Bragança.

Em 2015, foram realizadas 30 circulações e transportados 6.202 clientes, com uma taxa de ocupação média de 81,3%, enquanto, em 2014, foram concretizadas 18 viagens e contabilizados 3.384 clientes.

A CP considera que os dados mostram que o comboio histórico “tem crescido e tem aumentado a sua capacidade de atrair clientes, uma vez que o aumento das circulações foi acompanhado do aumento da taxa média de ocupação”.

A edição deste ano fica marcada pelo regresso da locomotiva a vapor que foi alvo de uma “intervenção inovadora” para substituir o carvão pelo diesel.

Outra das novidades é a possibilidade de os passageiros fazerem a viagem na cabina, junto do maquinista e do fogueiro, com um bilhete especial que tem um custo de 300 euros.

O programa do comboio histórico na linha do Douro arrancou no final da década de 90 com uma composição constituída pela locomotiva a vapor 0186, construída em 1925 pela Henschel & Son, e por cinco carruagens antigas em madeira.

Em 2013, a CP procedeu a um conjunto de alterações à locomotiva a vapor com o objectivo de tornar o “comboio mais eficiente do ponto de vista operacional e energético” e mais “sustentável economicamente”.

O comboio parte da Régua e segue até ao Tua, com vista para o rio Douro e as vinhas em socalco, em pleno Património Mundial da UNESCO. Durante todo o trajecto, há animação, assegurada por um grupo de cantares regionais e ainda um brinde com vinho do Porto.