Nova Comissão Executiva da RTA quer rejuvenescer oferta e imagem da região

Presidida por João Fernandes, tomou posse na passada sexta-feira a nova comissão executiva da Região de Turismo do Algarve. Neste início de mandato, o novo presidente apresenta como principais objectivos o rejuvenescimento da oferta e da imagem do Algarve, além da “captação de investimento e talento”.

Na cerimónia de tomada de posse, que contou com a presença da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, e do presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, o novo presidente da RTA deixou claro que o Algarve pretende manter uma linha de diálogo e colaboração com o Governo e a Assembleia da República.

Sublinhando que “o Algarve não concorre com outras regiões do país” antes “disputa aquele que é o espaço internacional mais competitivo do turismo à escala global – o Mediterrâneo”, João Fernandes avançou que “a região tem de desenvolver novas motivações de visita, nomeadamente, através do Turismo de Negócios, Turismo Náutico, Turismo Acessível e a Captação de Estágios e de Provas Desportivas”, garantindo, no entanto, a continuidade de projectos como o Cycling & Walking, Algarve Nature Week, 365 Algarve e Algarve Cooking Vacations, que têm “contribuído para preencher vazios na região e alterar perfis de consumo”, sublinha a RTA.

O novo presidente adiantou que a RTA pretende ser “agente activo” na “captação de investimento, que ajude a requalificar a oferta e que traga inovação nos produtos e nos serviços. Para o efeito, estamos a trabalhar na constituição de um portfólio do edificado devoluto ou em estado degradado em zonas turísticas, para juntamente com o Turismo de Portugal, divulgá-lo junto de potenciais investidores”. 

Avançando que a RTA está a “colaborar activamente com a ATA para uma definição comum do novo Modelo de Promoção Externa, que balizará nos próximos três anos o reforço e a captação de novas rotas aéreas”, João Fernandes afirmou o desejo de esta Entidade Regional de Turismo reforçar a cooperação com a CCDR e os municípios, nomeadamente no que toca a questões como mobilidade, nova regulamentação do Alojamento Local e definição das taxas turísticas.