Companhia aérea Primera Air declara falência

Ligava os países nórdicos a destinos turísticos da Europa, incluindo Portugal. A transportadora aérea islandesa de baixo custo Primera Air informou esta terça-feira, ao mercado, que deixou de operar há meia noite de segunda-feira, depois de declarar falência.

A companhia trabalhou nos últimos meses sem descanso para conseguir financiamento a longo prazo. Perante a incapacidade de chegar a um acordo com o nosso banco para um financiamento ponte, não temos outra opção senão pedir a falência”, disse a companhia aérea em comunicado, citado pela Lusa.

O comunicado acrescenta que “durante os próximos dias iremos actualizando informação no nosso website. Os passageiros podem dirigir-se aos seus tour operadores e agentes de viagens para mais informação e acções”. As formas habituais de contactar, avisou, já não funcionam.

A situação financeira da Primera Air deteriorou-se devido a “vários acontecimentos infelizes e imprevistos nos últimos dois anos, nomeadamente a perda de um avião causado por problemas de corrosão e por atrasos na entrega da nova frota de Airbus 321neo”, refere ainda o comunicado.

A Primera Air tem a sua origem na companhia islandesa Jet X, fundada em 2003 e que foi comprada cinco anos depois pelo Primera Travel Group, também islandês.

Com sedes em Copenhaga e em Riga, a Primera Air ligava o norte da Europa a 40 destinos, nomeadamente a Lisboa, Faro, Funchal, e Ponta Delgada, e havia anunciado que tinha planos para voar desde diversos locais da Europa para os Estados Unidos.