Companhias da A4E contra imposição de ecotaxas sobre a aviação

As companhias aéreas europeias que integram a Associação Airlines for Europe (A4E) estão contra a implementação de taxas ecológicas sobre a aviação. Considerando que estas não são uma solução, a A4E avança que, só em 2019, as transportadoras aéreas europeias vão pagar mais de 5.000 milhões de euros em taxas e impostos ambientais.

No comunicado enviado à nossa redacção, a Airlines for Europe considera que a implementação de ecotaxas sobre a aviação “não é uma solução”, tanto mais que, segundo afirmou Willie Walsh, do Grupo IAG “os governos criam ecotaxas mas não gastam um cêntimo para tornar a aviação mais sustentável”.

Numa conferência de imprensa realizada em Bruxelas, foi afirmado que as maiores companhias aéreas europeias vão este ano pagar “mais de 5.000 milhões de euros a nível nacional em impostos ambientais”, um montante que poderia ser gasto no apoio aos esforços para a “descarbonização da indústria aérea”.

As companhias da A4E frisam também que têm realizado os seus próprios investimentos na redução do nível de emissões, avançando que, até 2030 serão investidos mais de 169 mil milhões de euros em tecnologias inovadoras com o objectivo de minorar os impactos no meio ambiente. Inclui-se neste ponto a aquisição de cerca de 800 aviões mais eficientes e com nível mais baixo de consumo de combustível.

Por outro lado, estão preparadas para, a partir do próximo ano, passarem a cumprir o plano de redução de emissões de carbono das Nações Unidas.

A propósito, Michael O’Leary, presidente da A4E e CEO de Ryanair assegurou que “a afirmação de que as companhias aéreas não estão a pagar impostos ambientais é completamente falsa”. E acrescenta: “a nível mundial, as companhias aéreas europeias são as únicas que pagam impostos ambientais” pelo que “implementar mais impostos sobre a aviação são uma reacção retirará competitividade e prejudicará especialmente a integração e a livre circulação dos cidadãos da União Europeia, especialmente no que toca aos Estados periféricos e insulares como a Irlanda, Espanha e  Portugal e os Estados Bálticos”.

Recorde-se que a A4E integra a Aegean, airBaltic, Air France-KLM, Cargolux, easyJet, Finnair, Icelandair, International Airlines Group (IAG), Jet2.com, Lufthansa Group, Norwegian, Ryanair, TAP Air Portugal, Smartwings y Volotea que, no seu conjunto, representam mais de 70% dos voos realizados na Europa.