Comunicar turismo em tempos de crise

A comunicação de crise no turismo foi o mote de uma reunião realizada esta terça-feira entre a OMT e a ETC. Realizada em Madrid, a reunião contou com a presença de responsáveis destas duas entidades e representantes de diversos países europeus.

Melhorar a coordenação no domínio da denominada comunicação de crise em todos os tipos de destinos turísticos, seja qual for a crise de que se trata (catástrofes naturais, instabilidade política e social, pandemias e outros problemas e saúde pública) foi um dos focos principais desta reunião em que estiveram presentes representantes e 13 países.

Os responsáveis estudaram o impacto das crises e a forma como se repercutem na imagem de um destino turístico. O evento serviu ainda para que a OMT apresentasse algumas das suas iniciativas no âmbito da comunicação de crise.

“Nenhum país do mundo está ao abrigo de uma crise”, considerou o secretário-geral da Organização Mundial do Turismo na sua intervenção, explicando que por isso mesmo “devemos considerar a comunicação como um componente primordial da gestão de crises” dado que esta pode “atenuar o impacto e acelerar o processo de recuperação”.

Como argumentou Eduardo Santander, director executivo da Comissão Europeia de Turismo “é através de um trabalho de planificação, cultivando as relações com os meios de comunicação e aprendendo a comunicar de forma eficaz, que os destinos poderão intervir adequadamente em momentos e crise”.

A reunião teve lugar num momento de crise para a Alemanha, corporizado por um atentado a um mercado de Natal em Berlim que acontecera apenas algumas horas antes.