Congresso APECATE: Marta Guerreiro reafirma aposta dos Açores como destino de natureza

“A nossa aposta tem passado, e continua a passar, por aumentar a notoriedade internacional dos Açores como um destino de Natureza de excelência, procurando reforçar, perante os mercados externos, o nosso posicionamento em prol desta imagem e, pondo em destaque as nossas características de sustentabilidade, ambientais e paisagísticas” afirmou a secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores.

De acordo com Marta Guerreiro, que usava da palavra na sessão de abertura do VII Congresso da APECATE, decorrido na Horta, “este é um trabalho no qual o executivo açoriano continua a apostar, mas não temos dúvidas de que não o fazemos sozinhos, sendo evidente a aposta de todas as entidades do sector – públicas e privadas – e do caminho conjunto que tem sido percorrido”.

A prova disso está à vista, “com crescimentos da nossa oferta, principalmente, no que diz respeito às actividades de animação turística, existindo actualmente 391 empresas que se dedicam às mesmas, quando em 2013 este número era apenas de 140, correspondendo, assim, a um aumento de 179%”.

Este desenvolvimento da oferta, alinhado com a estratégia do sector, a par da notoriedade já alcançada pelos Açores, enquanto local seguro, com beleza mística, capaz de proporcionar experiências únicas e com grande preocupação pelas questões de sustentabilidade económica, cultural, social e ambiental, “tem também permitido alavancar o segmento de turismo de negócios, com políticas que privilegiam eventos nos Açores”, realçou a governante regional.

A titular da pasta do turismo considerou que, tendo em conta o grande foco deste congresso, a qualificação, indicou que na área da valorização dos recursos humanos, o orçamento de 2019 prevê um orçamento de 4,6 M€, mais 14% face ao ano passado.

Assim, “o foco principal estará na formação de profissionais do sector, pelo que estamos já a levar a cabo um conjunto de acções, quer com a Escola de Formação Turística e Hoteleira, quer com o IPDT, quer ainda com a AHRESP, numa óptica de dar mais e melhores ferramentas a quem contacta com quem nos procura”.

Outro grande desafio prende-se com a certificação dos Açores como Destino Turístico Sustentável, outra temática deste congresso, que segundo Marta Guerreiro, “ esperamos alcançar precisamente este ano, marcando uma posição muito firme da Região quanto ao que ambicionamos para o futuro do sector”, para acrescentar que tudo isto “deve acontecer sem nos esquecermos da importância de investimento contínuo na distribuição de fluxos por todas as ilhas e no combate à sazonalidade, que pode, e bem, ser atenuada com a captação de eventos”.