Constrangimentos no aeroporto de Lisboa e efeitos do Brexit preocupam CTP

O presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Francisco Calheiros está preocupado com os constrangimentos que se verificam no aeroporto de Lisboa, que faz Portugal perder um milhão de turistas por ano, ao mesmo tempo que refere que já se fazem sentir os efeitos do Brexit no turismo com uma quebra de 7%.

Em entrevista ao Negócios e Antena1, Francisco Calheiros diz que todos os dias estão a ser recusados novos voos por falta de capacidade da infra-estrutura aeroportuária, para realçar a necessidade de aceleração do processo Montijo, até porque mesmo avançando como o previsto, a base aérea só passará a funcionar como pista complementar ao aeroporto da Portela em 2022, ou seja “ainda faltam quatro anos”, enquanto isso, a principal porta de entrada do turismo no país (responsável por 90% das chegadas a território nacional) já está “entupida”.

O presidente da Confederação do Turismo de Portugal referiu que os atrasos e as filas em Lisboa, já estão a ter consequências na imagem do país e na recusa de slots por falta de capacidade do aeroporto para receber todos.

O presidente da CTP acusa ainda o SEF de ser um dos principais responsáveis pelos atrasos que se verificam nas entradas do espaço não Schengen e diz mesmo que “alguém tem de dar um murro na mesa e alguém tem de dizer basta” para acabar com os atrasos que se verificam. O governo, considera, não pode ficar refém de interesses corporativos.
A respeito das sucessivas quebras do mercado britânico em Portugal, o responsável indicou, na mesma entrevista que se deve aos efeitos do Brexit no turismo, que já se está a sentir, uma descida que ainda assim tem sido compensada por norte-americanos e canadianos, mas revelando alguma preocupação, já que lembrou que em Março, dados do Instituto Nacional de Estatística, revelavam que o sector do turismo começou 2018 com o menor crescimento dos últimos quatro anos. Mesmo assim, Francisco Calheiros considera que a sazonalidade em Portugal está cada vez mais esbatida e que o país vai ter um bom Verão.