Copacabana não vai ter réveillon e S. Paulo adia Carnaval

Em ano de pandemia, a tradição deixou, forçosamente, de ser o que era. É assim também no Brasil onde as autoridades do Rio de Janeiro acabam de cancelar a festa de réveillon na praia de Copacabana, e a prefeitura de São Paulo anunciou o adiamento do Carnaval de 2021. Rio de Janeiro e Salvador da Bahia ainda estão a decidir, podendo também optar pelo adiamento das celebrações carnavalescas.

O mundo todo sabe: na entrada de 2020, estavam quase 3 milhões de pessoas na praia de Copacabana mas o ano vai terminar e 2021 há-de entrar sem que haja a tradicional festa. Não por se tratar de um ano de má memória, que isso contribuiria até para que mais gente quisesse vê-lo a acabar mas por causa da pandemia e de não existir ainda uma cura no horizonte.

Será a primeira vez que tal vai acontecer de que se tornou tradição de cariocas e turistas rumarem a Copacabana para entrarem em grande festa num novo ano, assistirem ao espectáculo musical e assistirem ao costumeiro fogo-de-artifício, também ele um espectáculo único.

O anúncio foi feito sábado pela organização das festividades, justificando que sem a existência de uma vacina não é viável haver uma festa desta envergadura. A informação foi divulgada pela Riotur, empresa pública responsável pela organização de eventos e turismo na cidade do Rio de Janeiro, numa nota citada pelos ‘media’ locais.

O comunicado também informa que uma nova proposta para comemorar o Ano Novo será apresentada pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, nos próximos dias.

Já dias antes se soubera que outras grandes cidades brasileiras tinham cancelado as festividades de passagem do ano. Uma delas é São Paulo que anunciou na sexta-feira que iria adiar os festejos de Carnaval de 2021, uma medida nunca antes tomada num países que durante meses vive para os cortejos carnavalescos.

Com perto de 2 milhões de casos confirmados de Covid-19, há estados e cidades que não querem arriscar. Assim, a prefeitura de São Paulo decidiu que os desfiles das escolas de samba, que contaram este ano com a participação de mais de 15 milhões de pessoas,  irão ocorrer mas noutra data.  A prefeitura, para já não anuncia data as a imprensa brasileira aponta os meses de Maio ou Junho como possibilidades.

Mas a prefeitura de São Paulo não está sozinha na decisão de adiar o Carnaval. De acordo com a imprensa brasileira, o prefeito de Salvador da Bahia está a estudar o adiamento das celebrações para Junho e no Rio de Janeiro, as escolas de samba irão tomar uma decisão em Setembro, mas é já conhecido que muitas dos responsáveis das escolas dizem que fazer os habituais desfiles sem que até lá exista uma vacina para a Covid-19, será “inviável”.