Crescimento de mercados concorrentes é principal risco para o turismo português

Segundo o Portuguese Hotel Investment Survey o crescimento dos mercados concorrentes e a dificuldade em contratar mão-de-obra qualificada são os principais riscos da indústria hoteleira portuguesa para os próximos cinco anos.

No inquérito realizado pela Deloitte aos 20 principais grupos hoteleiros nacionais, cuja análise integra a 14ª edição do Atlas da Hotelaria, a maioria dos inquiridos (79%) defende que o principal desafio dos cinco anos que se seguem passa pela retenção de recursos humanos qualificados. Também a atracção e fidelização de novos clientes, associado às preferências dos millennials, surge para muitos (57%) como um desafio de relevância.

Questionados sobre o momento actual do mercado nacional de hotelaria, 48% acredita que este atravessa uma fase de pico de investimento, com as cidades de Lisboa e Porto a serem identificadas como as mais atractivas para o investimento hoteleiro em 2020. A maioria considera que os principais financiadores desse investimento serão grupos hoteleiros internacionais (62%), sociedades gestoras de fundos de investimento (57%) e as Private Equity (29%).