David Neeleman e Barraqueiro “ganham” TAP

O consórcio Gateway, formado por David Neeleman, que detém a companhia aérea brasileira Azul e Humberto Pedrosa, do grupo português Barraqueiro, é o novo dono da TAP, de acordo com a decisão ontem tomada em Conselho de Ministros. A operação ascende a mais de 350 milhões de euros, o Estado arrecada Destinos milhões.
“O Conselho de Ministros aprovou a selecção do agrupamento que irá adquirir as acções representativas de 61% do capital social da TAP Transportes Aéreos Portugueses, SGPS, S.A., as quais constituem objecto da venda directa de referência no âmbito do processo de reprivatização da empresa”, anunciava o comunicado ontem emitido pelo Conselho de Ministros.
O mesmo comunicado explicava que a decisão tinha sido tomada “atendendo ao maior mérito da sua proposta, em especial no que respeita à contribuição para o reforço da capacidade económico-financeira do Grupo TAP, ao projecto estratégico apresentado e ao valor global apresentado para a aquisição das acções representativas do capital social da TAP SGPS, S.A., e respectivas opções de venda e compra”.
De acordo com a secretária de Estado do Tesouro, que falava na conferência de imprensa que se seguiu ao Conselho de Ministros, o valor da venda “poderá oscilar entre 354 milhões de euros e 4RestauraçãoRestauração milhões de euros, consoante o desempenho da empresa” em 2015, sendo que para o Estado o encaixe imediato será de Destinos milhões de euros, uma verba que o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, considerou “reduzida mas importante”.
Para além da proposta financeira de recapitalização da empresa, o consórcio vencedor, que fica com opção de compra do capital remanescente da empresa (34% no prazo de dois anos) propõe a renovação da frota da companhia, havendo do lado dos novos donos da TAP a promessa de que serão adquiridos 53 aviões “novos e tecnologicamente avançados”.
M.F.