Comboio volta a circular na linha do Tua

A emblemática linha ferroviária do Tua volta a funcionar, a título experimental, em Fevereiro de 2017. Para tal, Mário Ferreira, da Douro Azul, vai investir cinco milhões de euros e a EDP outros dez. Acordo vai vigorar por 50 anos.

Uma década após a sua suspensão, na sequência da construção da barragem do Tua pela EDP, é que poderão começar a ouvir-se os apitos do comboio no vale. Está previsto que o primeiro possa circular, a título experimental, em Fevereiro de 2017.

O comboio, cuja construção já está encomendada, não vai circular em todo o vale, até porque há um troço de linha que vai ficar submerso com as águas da barragem que a EDP já começou a encher, mas vai percorrer 17 quilómetros em comboio histórico a carvão que fará viagens especiais e uma máquina ecológica a diesel, réplica do comboio antigo que está a ser construído em Inglaterra.

Foi o empresário Mário Ferreira quem respondeu ao convite da EDP para apresentar uma solução para aquela zona, não só ao nível da mobilidade das populações locais, mas como projecto turístico.

No total, o projecto vai custar 15 milhões, dez milhões dos quais assegurados pela EDP tal como estava previsto no protocolo de intenções e compromissos entre a eléctrica e a Associação de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua (ADRVT), o organismo que integra os cinco municípios impactados com a construção da barragem. Mário Ferreira coloca no projecto cinco milhões de euros e terá 50 anos para os rentabilizar.