Delegada da APAVT nos Açores defende mais fiscalização ao mercado paralelo

Catarina Cymbron, delegada da APAVT nos Açores defende a intensificação da fiscalização ao mercado paralelo em várias vertentes do turismo.

Face ao crescimento do turismo nos Açores, na sequência da liberalização parcial do transporte aéreo nas rotas de Ponta Delgada e Terceira, têm surgido alojamentos que não estão licenciados, designadamente casas e quartos, refere a responsável em declarações à agência Lusa.

“Está a crescer o mercado paralelo em várias vertentes do turismo e a fiscalização tem que intensificar a sua actividade para termos serviços de qualidade e as pessoas pagarem impostos como todos os outros que estão no mercado”, disse Catarina Cymbron, referindo, no entanto, que a Inspecção Regional, tem incrementado a sua actividade nos últimos três anos.

“Espero que não se perca a autenticidade que caracteriza os Açores e que constitui um dos seus pontos mais positivos”, declarou a responsável pelas agências de viagens na região, realçando que os recursos humanos existentes na área da fiscalização “são insuficientes” para fazer face ao mercado paralelo, onde também deverão estar a operar, na área dos transportes, indivíduos que não estarão licenciados para o exercício da actividade.

Catarina Cymbron adiantou que estas actividades marginais surgem num momento em que se “assiste a uma subida da procura para os Açores” este Verão, estando os hotéis com “boa capacidade” e registando-se um acréscimo, sobretudo oriundo do mercado continental.