Dia Mundial do Turismo sob o signo da acessibilidade global

“A acessibilidade para todos deveria estar no centro das políticas de turismo e da estratégia empresarial”, considera o secretário-geral da Organização Mundial do Turismo, Taleb Rifai, na sua mensagem para o Dia Mundial do Turismo que terá a Tailândia como país anfitrião das comemorações.

” Turismo para Todos – Promover a Acessibilidade Universal” é o tema central das comemorações do Dia Mundial do Turismo que se celebra a 27 de Setembro, tendo a Tailândia como país anfitrião das comemorações oficiais, tal como ficou decidido na 21ª Assembleia Geral da OMT.

Na sua mensagem oficial, o secretário-geral da OMT refere-se à “revolução” que o turismo viveu nos últimos 50 anos, período ao longo do qual o número de turistas internacionais passou de 25 milhões para 1.200 milhões. “Viajar tornou-se para muitos uma parte essencial das suas vidas”, sublinha a propósito Taleb Rifai.

Considerando que viajar é sinónimo de conhecer novas pessoas, paisagens e ideias, que quando viajamos se altera a percepção que temos do mundo e ainda que das viagens “voltamos melhores pessoas”, o secretário-geral da OMT afirma que “não podemos esquecer que para muitos de nós, viajar pode ser bastante difícil”.

É a pensar nestas pessoas que este ano se comemora o Dia Mundial do Turismo sob o signo da acessibilidade global. “Cerca de 15% da população vive com algum tipo de incapacidade”, sublinha Taleb Rifai. Por isso, afirma, “a acessibilidade para todos deveria estar no centro das políticas de turismo e da estratégia empresarial. Não só por uma questão de direitos humanos, que já de si é importante, mas também porque há aqui um grande mercado potencial e uma magnífica oportunidade de negócio”.

O responsável frisa ainda que “com o envelhecimento da população mundial, a acessibilidade universal do turismo acabará, mais cedo ou mais tarde, por beneficiar a todos”.

Ao celebrar-se o “Turismo para todos” no próximo Dia Mundial do Turismo, OMT, através da mensagem do seu secretário-geral “exorta todos os países e destinos, bem como todos os agentes do sector, a fomentar a acessibilidade universal na envolvente física, nos sistemas de transportes, nos espaços e serviços públicos e nos canais de informação e comunicação”.