easyJet cresce em passageiros, ocupação e receitas entre Outubro e Dezembro

A easyJet teve um início de ano promissor, alcançando crescimentos ao nível do número de passageiros, receitas e ocupação no primeiro trimestre do actual ano financeiro, que para a companhia britânica arrancou em Outubro. Entre Outubro e Dezembro, a easyJet conseguiu um crescimento de 4,1% no número de lugares ocupados em aeronaves, para 16,1 milhões, enquanto o número total de passageiros aumentou em 4,2%, para 14,3 milhões, e a taxa de ocupação subiu para 88,7%, aumento de 0,1 pontos percentuais. Já receita total por assento cresceu 3,4% numa base reportada para 55,71 libras esterlinas por assento ou 1,4% em moeda constante, resultado que foi possível graças a “uma cuidada gestão da capacidade, combinada com a performance de lugares alocados e com a gestão de taxas e encargos”. “A easyJet está a registar um começo de ano promissor. Garantimos um aumento da receita por assento no trimestre, mesmo tendo em consideração um ambiente competitivo e desafiante num cenário particularmente duro comparativamente com o ano anterior”, congratula-se Carolyn McCall, Chief Executive da easyJet. O custo por assento, excluindo o combustível, aumentou 3% numa base reportada e 1,2% numa base de moeda constante, o que se deveu aos aumentos antecipados nas taxas em aeroportos regulamentados e aos aumentos nos custos de manutenção associados com o envelhecimento da frota previsto, bem como à subida da proporção de aviões utilizados em regime de leasing. Apesar dos resultados positivos, a easyJet espera perdas nos primeiros seis meses antes de impostos entre 70 e 90 milhões de libras esterlinas, “assumindo níveis normais de alterações nos voos comparando com as perdas de 61 milhões de libras esterlinas reportadas na primeira metade do ano passado”, refere a companhia, explicando que, em 2013, a Páscoa foi assinalada em Março, o que permitiu receitas adicionais de 25 milhões de libras esterlinas. I.M.