ECTAA confirma Coimbra como palco da sua próxima reunião semianual

A ECTAA – Confederação Europeia das Associações de Agências de Viagens confirmou na sua reunião em Tunes, que o seu próximo encontro semianual, o 115º, será realizado de 31 de Maio a 2 de Junho de 2017 na cidade de Coimbra.

A cidade dos estudantes vai receber os membros associados da ECTAA, representantes de mais de 30 países emissores e mais de 80.000 agências de viagens. De acordo com a Turismo do Centro “este é um dos resultados da escolha do Centro de Portugal como “Destino Preferido 2017 da ECTAA””, um protocolo que foi assinado no passado mês de Junho em Coimbra, entre a Entidade Regional do Turismo Centro de Portugal e a ECTAA. Este protocolo, sublinha a Turismo do Centro ficou a dever-se a um “processo de cooperação entre a TCP e a APAVT – Associação Portuguesa das Agências de Viagem e Turismo, liderada por Pedro Costa Ferreira”.

No âmbito deste protocolo, a partir de Janeiro, todos os membros da ECTAA começarão a receber material promocional, newsletters, informação e comunicações regulares sobre o Centro de Portugal, acrescendo que o selo “Turismo Centro de Portugal – ECTAA Preferred Destination 2017” constará do website, de todas as comunicações escritas e electrónicas, press releases electrónicas, relatórios e apresentações públicas da ECTAA. Serão também facilitados contactos entre a Turismo do Centro e as instituições da União Europeia.

Pedro Machado, presidente da Turismo do Centro esteve presente na reunião de Tunes, a convite da ECTAA, para fazer uma primeira apresentação do Centro de Portugal junto dos associados.  Na oportunidade foi também exibido o filme “Preferred Destination ECTAA 2017 – Turismo Centro de Portugal”, que alcançou o prémio de melhor filme turístico nacional, no Festival Art&Tur 2016.

Para Pedro Machado, “este é um momento de enorme importância para o Centro Portugal, dado que, por um lado, ajuda de forma substancial a nossa estratégia de internacionalização, e por outro lado,  contribui para reforçar a atractividade do Centro de Portugal junto do mercado nacional e a aumentá-la no mercado internacional”.